26
2/2009

Comentários
4

  Compartilhar no LinkedIn

Tim privilegia rentabilidade no 4T08

Eduardo Tude

A Tim apresentou no 4º trimestre de 2008 (4T08) lucro líquido de R$ 300 milhões e margem EBITDA de 26,2%. Estes resultados foram acompanhados, no entanto, por um crescimento menor que as demais operadoras com adições líquidas de 1,2 milhões de celulares no trimestre.

A redução da agressividade da Tim em suas promoções refletiu em uma que da nos minutos mensais de uso de seus celulares, que caíram de 101 minutos no 3T08 para 86 minutos no 4T08. Ou seja, menos minutos promocionais.

Em compensação, a Tim conseguiu manter a sua liderança em ARPU (R$ 29,9), apesar da sua base de pré-pagos ter subido para 82% do total de seus celulares. O churn mensal da Tim cresceu também para 3,3% no 4T08.

Está será a estratégia da Tim para 2009?

 

 

20
2/2009

Comentários
1

  Compartilhar no LinkedIn

Barcelona: Um balanço de 10 temas chaves

Eduardo Tude

Como comentei neste Blog, procurei fazer uma seleção de 10 temas que julgo importantes e para os quais procurei me dedicar durante o Congresso, buscando algumas respostas. Seguem alguns comentários.

1) Qual o efeito da crise financeira global no mundo móvel?

Apesar da preocupação demonstrada por todos participantes e da crise estar produzindo efeitos em alguns segmentos, como na produção de telefones celulares, existe um consenso de que o setor tem futuro e deve continuar crescendo. A demanda por comunicações de voz e pela banda larga móvel é real e tem que ser atendida. Telecomunicações aumentam a produtividade e podem ajudar na superação desta crise. O setor deve se colocar como parte da solução e não do problema.

2) Como evoluirá a banda larga móvel?

A implantação de redes com altas velocidades, boa cobertura e capacidade é fundamental para que o usuário passe a utilizar a banda larga móvel e as aplicações que ela suporta se desenvolvam. As operadoras devem continuar expandindo suas redes 3G (HSDPA) e aumentando as velocidades. A Telstra na Austrália já fez o upgrade de suas redes para 21 MBit/s. Empresas que tem redes EVDO, como a Verizon, devem partir direto para o LTE .

3) Quem irá dominar a Internet móvel? Google, Yahoo, Microsoft, Nokia, Operadoras?

Provavelmente nenhum deles, ou todos. As operadoras já se convenceram que não podem isolar seus clientes em uma Internet Móvel particular, mas não querem ser apenas um provedor de acesso.

4) Quais sistemas operacionais irão prevalecer nos smartphones?

A briga ainda deve se estender por algum tempo. Estão na disputa os sistemas operacionais da Apple, Google (Android), Microsoft, Nokia (Simbian), Palm e RIM (Blackberry).

5) Como evoluirão tecnologias como LTE, Wimax e NGMN?

O Wimax está se tronando uma realidade mas tem dificuldades em ganhar escala. O LTE começa a ser implantado em grandes operadoras como a verizon e deve estar em operação comercial em 2010. No entanto, os handsets só devem estar disponíveis no fina de 2010.

6) O celular como carteira eletrônica está se tornando uma realidade?

Sim as aplicações estão maduras e empresas como a Visa estão preparadas para a popularização deste serviço nos próximos anos.

7) Que serviços crescerão mais no celular? Localização? TV móvel?

Os serviços de localização estão mutio desenvolvidos e devem servir de base para dar contexto aos outros serviços. Música e TV móvel continuam sendo vistos como serviços de grande potencial.

8) Como anda a evolução das Fentocells?

A evolução está lenta devido ao esforço de padronização que está sendo feito. Continua sendo, no entanto, uma aposta de fornecedores e operadoras.

9) Os MVNOs estão tendo sucesso no mundo?

Pouco se falou de MVNOs no congresso.

10) Quais inovações estão vindo por aí? Seja em aparelhos, smartphones ou serviços.

A GSM Association tem um programa especial para incentivar inovações. Elas são mais visíveis nos aparelhos de celular que utilizam o touch screen e se tornam cada vez mais fáceis de serem utilizados.


 

 

19
2/2009

Comentários
0

  Compartilhar no LinkedIn

Barcelona: Entretenimento foi o tema do último dia do congresso

Eduardo Tude

Entretenimento foi o tema principal do último dia do congresso em Barcelona com sessões especiais sobre Música, Jogos, TV e propaganda no celular.

A sessão de key notes contou com a participação de Chris DeWolf, CEO do site de relacionamento MySpace e que declarou que em 2 anos 50% dos acessos ao MySpace serão feitos a partir de dispositivos móveis.

Kevin Spacey foi, no entanto, a atração principal. Ele participou da cerimônia de entrega de prêmios aos vencedores do concurso de filmes (curtas) para o celular.

 

 

18
2/2009

Comentários
15

  Compartilhar no LinkedIn

Crise não afetou o crescimento do celular em Jan/09

Eduardo Tude

O Brasil terminou Jan/09 com 152 milhões de celulares.

As adições líquidas de 1,3 milhões no mês foram inferiores aos 1,8 milhões de Jan/08, não se pode, no entanto atribuir à crise este resultado.

A Claro com adições líquidas de 365 mil celulares e a Vivo (351 mil) lideraram o crescimento no mês superando suas adições líquidas de Jan/08.

Já a Tim e Oi apresentaram em Jan/09 adições líquidas inferiores às de Jan/08.

A Tim que em Jan/08 apresentou adições líquidas de 799 mil celulares teve em Jan/09 um crescimento de 143 mil. Não fosse o comportamento atípico da Tim em Jan/08 e teríamos tido naquele mês um crescimento muito próximo do apresentado em Jan/09.


 

 

18
2/2009

Comentários
0

  Compartilhar no LinkedIn

Barcelona: As operadoras de celular vão ser apenas provedoras de acesso?

Eduardo Tude

A sessão de key notes desta quarta sobre Internet Móvel tratou de uma questão chave para as operadoras de celular:

As operadoras de celular vão ser apenas provedoras de acesso ou oferecerão também serviços de valor adicionado?

As operadoras de celular tentaram inicialmente criar um jardim murado (“Walled Garden”) para seus clientes, que teriam acesso apenas a serviços de valor adicionado através do portal WAP da operadora. Este modelo não teve sucesso e as operadoras tiveram que abrir as suas portas para que seus clientes acessassem outros sites WAP e a Internet “real” ou fixa.

O CEO da Vodafone já havia afirmado ontem que as operadoras não podem ficar no jardim murado, mas também não podem ser apenas provedores de acesso (pipe). A posição a ser ocupada entre este dois pólos dependerá da estratégia e do desempenho de cada operadora.

No debate de hoje tivemos a presença do responsável pela área móvel do Google, do CEO do Skype e do CEO da Telstra, operadora australiana que está fazendo pesados investimento em 3G e que já está oferecendo velocidades de 21MBit/s.

Para o Google e o Skype o ideal seria que as operadoras de celular fossem apenas pipe e seguissem o modelo atual de preços da Internet fixa. Um preço fixo (flat rate) pelo uso ilimitado. Este modelo de preço é fácil de ser entendido pelo usuário e estimula o uso.

O CEO da Telstra argumentou que este modelo de preço não estimula os investimentos nas redes 3G e não viabiliza a oferta de um acesso com boa velocidade, cobertura e capacidade. Ou seja, o modelo de preço de cobrança pelo acesso tem que ser simples e de fácil entendimento por parte do usuário, mas tem que remunerar o acesso existindo outras alternativas que não o flat rate.

Ou seja, a operadora de celular tem um negócio de acesso á Internet (banda larga móvel) que deve ter uma remuneração compatível com os investimentos e pode ou não disputar com outras empresas da WEB (Google, Skype, Microsoft, Yahoo,..) o mercado da Internet móvel.

Outro tema que merece destaque foi o anuncio pela Verizon de seus fornecedores para uma rede LTE que deve estar no ar em 2010. Foram escolhidas a Alcatel-Lucent e a Ericsson. A Verizon preferiu pular do EVDO direto para uma tecnologia 4G, o LTE.

Apesar da presença massiva na feira já se pode afirmar que o público este ano está um pouco menor que o do ano passado. As discussões continuam, no entanto, de alto nível e os que estão aqui estão tendo uma boa visão das perspectivas do setor para 2009.

 

 

17
2/2009

Comentários
0

  Compartilhar no LinkedIn

Barcelona: Telecom é parte da solução e não do problema

Eduardo Tude

Hoje (terça) foi o dia principal do Mobile World Congress em Barcelona. Logo de manhã tivemos uma sessão de key notes speakers com os CEOS da Telefônica, Vodafone e Telenor. O público do evento esteve próximo dos anos anteriores embora se possa notar uma diminuição da participação de brasileiros. O Teleco, como Golden Mídia Partner do evento, esteve presente com seu logo exibido em vários painéis da feira.

A crise financeira global continuou no centro dos debates. O discurso destes operadores é que o setor não gerou esta crise (não faz parte do problema), mas é parte da solução. Mais investimento em Telecom aumenta a produtividade e gera empregos, podendo ajudar a superar a crise. Estudos realizados no mercado Africano mostram que um aumento de cobertura de 10% em um país gera um crescimento de 0,6% no PIB.

A outra sessão de key notes reuniu o CEO da Nokia, da ATT e da Microsoft (Steve Ballmer). A discussão principal girou em torno da necessidade de se reduzir o número de sistema operacionais e de se ter um “Wireless Ecosystem” balanceado.

Seguem alguns destaques do dia:

• O Wimax realizou uma conferência de imprensa onde se colocou como uma alternativa real para ser utilizada hoje, ao contrario do LTE que só deve estar disponível no final de 2010.

• A Nokia anunciou que, após resolver no ano passado suas pendências com a Qualcomm, está desenvolvendo produtos em parceria com ela.

• A Vodafone reconheceu que o seu posicionamento em relação ao conteúdo não pode ser o de criar um “Walled garden” (Jardim murado) nem o de ser um “Dumped Pipe” (Tubo).

• A Nokia se colocou aberta para mudanças, mas não ficou claro na discussão o que é um sistema móvel aberto. Foi ressaltada a importância da inovação e de que a decisão final sobre quais sistemas operacionais sobreviverão será tomada pelos clientes.

• Entre os vários acontecimentos do evento merece destaque o avanço das soluções de pagamento eletrônico com NFC (Near Filed Communication). A Visa, que foi escolhida pela GSM Association como parceira para transferência eletrônica de dinheiro, apresentou em seu stand um conjunto completo de soluções de NFC. Agora é aguardar o prazo para que elas estejam disponíveis no Brasil.

Amanhã teremos mais novidades.

 

 

16
2/2009

Comentários
0

  Compartilhar no LinkedIn

Barcelona: O impacto da crise está por trás das discussões

Eduardo Tude

Esta segunda feira (16/02) foi o primeiro dia do Mobile World Congress (MWC) em Barcelona. A segunda ainda pode ser considerada um dia de pré-evento.O dia principal do congresso é a terça quando acontecem os primeiros Key note speakers.

Este é o dia tomado por conferencias para a imprensa da GSM Association e empresas como a Ericsson, Nokia, Samsung e Microsoft.

Por trás de todas as colocações existe a preocupação com a crise financeira e como ela afetará o setor. O MWC reúne normalmente cerca de 50 mil pessoas em Barcelona. Espera-se que este ano o número seja um pouco menor, mas ainda não foi possível ter uma idéia mais precisa, amanhã será o dia chave.

O setor de telecom não está no olho do furacão como no caso da crise da bolha da Internet, mas certamente será afetado por esta crise. Neste sentido, a GSM Association e os CEOs das principais empresas defendem uma ação do Governo no sentido de preservar o crescimento do setor. O que se sabe é que telecomunicações são um setor que tem futuro após a crise. A demanda irá continuar crescendo. Existe uma demanda para que seja liberado mais espectro para aplicações móveis, de preferência em freqüências mais baixas, como 700 MHz. Reivindica-se também mais estabilidade regulatória.

Os principais fornecedores de aparelhos celulares como Nokia, Samsung, LG e Sony-Ericsson apresentaram seus lançamentos para 2009. A Nokia aposta no seu portal OVI (ainda sem data para ser lançado em português) e lançou a sua loja de aplicativos (OVI store). O mesmo fez a Microsoft. O portal OVI tem como foco o consumidor e as seguintes aplicações: mapas, mensagens, jogos, música e mídia.

Apesar da crise, a Samsung esta otimista e espera crescer em 2009.

Nos próximos dias as discussões devem continuar. Um dos temas a serem abordados é o LTE. Tem gente que acredite que ele só irá decolar onde existir uma rede de fibra para interligar as ERBs.

Amanhã tem mais!

 

 

15
2/2009

Comentários
0

  Compartilhar no LinkedIn

Temas quentes a serem debatidos em Barcelona

Eduardo Tude

O Mobile World Congress (MWC) começa amanhã aqui em Barcelona, mas já é possível sentir na cidade a agitação que ele provoca. As reuniões já começam a pipocar e as equipes de infra correm para deixar tudo pronto para amanhã.

Todo mundo que vem a Barcelona tem a sua agenda pessoal e procura tratar dos temas que mais lhe interessa. Procurei fazer uma seleção de 10 temas que julgo importantes e para os quais irei me dedicar durante o Congresso, buscando algumas respostas.

1) Qual o efeito da crise financeira global no mundo móvel?
2) Como evoluirá a banda larga móvel?
3) Quem irá dominar a Internet móvel? Google, Yahoo, Microsoft, Nokia, Operadoras?
4) Quais sistemas operacionais irão prevalecer nos smartphones?
5) Como evoluirão tecnologias como LTE, Wimax e NGMN?
6) O celular como carteira eletrônica está se tornando uma realidade?
7) Que serviços crescerão mais no celular? Localização? TV móvel?
8) Como anda a evolução das Fentocells?
9) Os MVNOs estão tendo sucesso no mundo?
10) Quais inovações estão vindo por aí? Seja em aparelhos, smartphones ou serviços.

Estou esquecendo alguma coisa?

 

 

15
2/2009

Comentários
1

  Compartilhar no LinkedIn

A divulgação do crescimento do celular em Jan/09 ficou para a semana que vem

Eduardo Tude

 A Anatel tirou do ar o link onde eram exibidos os resultados preliminares do celular antes do fechamento do mês e tivemos que esperar um pouco mais para conhecer os resultados de Jan/09.

Apesar de Claro e Vivo terem declarado que apresentaram adições líquidas superiores às Jan/08, é bem provável que as adições líquidas de Jan/09 sejam um pouco inferiores aos 1.8 milhões de Jan/08. Dificilmente a Tim repetirá em Jan/09 as adições líquidas de 799 mil celulares de Jan/08.

Os resultados de Jan/09 não darão muitos sinais em relação à questão principal:

Como a crise financeira global irá afetar o crescimento do celular no Brasil?

Provavelmente as tendências só ficarão mais claras com os resultados do 1T09.

 

 

13
2/2009

Comentários
1

  Compartilhar no LinkedIn

Receita da Vivo cresce 14% em 2008

Eduardo Tude

A Vivo consolidou sua liderança no mercado de celular brasileiro apresentando resultados expressivos em 2008.

A base de celulares da Vivo cresceu 20,2% e a receita líquida 14%.

Na comparação do 4T08 como 4T07, o percentual de pré-pago se manteve estável (81,0% contra 81,1%) , o ARPU caiu (R$ 30,9 contra R$ 29,1) e os minutos de uso (MOU) aumentaram (85 minutos contra 80).

A margem EBITDA foi de 30,8% em 2008 e a operadora apresentou lucro líquido de R$ 389,7 milhões no ano.

 

 

11
2/2009

Comentários
5

  Compartilhar no LinkedIn

Pioram os indicadores do celular da BrT no 4T08

Eduardo Tude

A Receita Bruta da BrT cresceu 6,3% em 2008 graças ao crescimento da receita de telefonia móvel (4,8%) e Comunicação de Dados (35%). A receita da telefonia fixa foi 5% menor. A Margem EBITDA no ano foi de 34,8% e o lucro líquido de R$ 782 milhões.

A base de celulares cresceu 31,5% no ano, mais que a de banda larga (15,2%) e telefonia fixa (1,2%).

O principais indicadores do celular apresentaram piora no 4T08 em relação ao 4T07:

4T08/4T07

Prépago: 82,5% /79,9%
ARPU: R$ 22,4/R$ 29,1 (a nova direção revisou os valores do 4T07)
Churn mensal: 6,1%/4,8%

No 4T08, a estratégia comercial da BrT para o celular já foi próxima da estratégia da Oi?

 

 

11
2/2009

Comentários
0

  Compartilhar no LinkedIn

A Net apresentou crescimento expressivo em 2008.

Eduardo Tude

A receita da Net cresceu 27% no ano, a base de clientes de TV por Assinatura 24%, a de banda larga 56% e a de telefonia fixa 190% atingindo 1,8 milhões de clientes.

A margem Ebitda se manteve em 27% mas a empresa mas apresentou um prejuízo de R$ 95 milhões devido a despesa com variação cambial relacionada à dívida em US$ que representa 47,2% da dívida total da Net.

A Net investiu (CAPEX) R$ 992,9 milhões em 2008 em melhoria da qualidade da sua rede. A expansão dos domicílios cabeados foi de 8%.

 

 

10
2/2009

Comentários
11

  Compartilhar no LinkedIn

Esta semana saiu o crescimento do celular de Jan/09

Eduardo Tude

A Anatel deve divulgar esta semana os resultados do celular em Jan/09.

As adições líquidas de celulares em Jan/08 foram de 1,8 milhões de celulares assim distribuídas:

799 mil (Tim)
346 mil (Oi)
289 mil (Claro)
Vivo (281 mil)
157 mil (BrT )

 


A Claro declarou que superou este resultado em Jan/09. E as outras?



 

 

8
2/2009

Comentários
0

  Compartilhar no LinkedIn

Falta 1 semana para o Mobile World Congress em Barcelona.

Eduardo Tude

Principal evento do celular do mundo o MWC em Barcelona contará com a presença do Teleco que é mídia partner co congresso.

Entre os temas em debate merecem destaque especial:

- A crise econômica global e seus efeitos sobre o setor
- A revolução da Banda Larga Móvel
- A Internet Móvel
- A Evolução das redes (3G, Wimax, LTE, NGMN,..)
- Os novos dispositivos e a evolução para um ecossistema aberto
- Entretenimento e publicidade no celular
- Celular como carteira (Mobile Money)
- Inovação e novas aplicações

 

 

6
2/2009

Comentários
4

  Compartilhar no LinkedIn

Receita da Claro cresce 15,4% em 2008

Eduardo Tude

A Claro liderou o crescimento do celular no Brasil em 2008 e no 4T08. A receita líquida cresceu 15,4% e quantidade de celulares 28,1% em 2008.

Na comparação do 4T08 como 4T07, o percentual de pré-pago diminuiu ( 79,8% contra 81,0%) , o ARPU caiu (R$ 25 contra R$ 28) e os minutos de uso (MOU) aumentaram (99 minutos contra 88).

2008 foi um bom ano para a Claro. Ela liderou o crescimento do celular, assumiu a 2ª colocação em market share e fortaleceu sua imagem por ter saído na frente na implantação da rede 3G.

 

 

5
2/2009

Comentários
1

  Compartilhar no LinkedIn

Qual terá sido o crescimento do celular em Janeiro?

Eduardo Tude

O crescimento do celular em janeiro deste ano será um primeiro indicador dos efeitos da crise global no desempenho das operadoras de telecom no Brasil.

Os efeitos da crise já estão sendo sentidos a nível global pelos fornecedores de Telecom com a queda na venda de telefones celulares no 4T08 e prejuízos apresentados por fornecedores como Sony Ericsson e Motorola. Os fornecedores de infraestrutura com Ericsson, Alcatel-Lucent e Nokia Siemens também estão apresentando redução de margens ou prejuízo. A Nortel entrou em concordata.

No Brasil a produção de telefones celulares caiu 61,4% na comparação de Dez/08 com Dez/07.

As adições líquidas de celulares em Jan/08 foram de 1,8 milhões de celulares, incrementadas pelo desempenho da Tim que apresentou adições líquidas de 799 mil celulares. Qual terá sido o crescimento do celular em Jan/09?

 

 

3
2/2009

Comentários
0

  Compartilhar no LinkedIn

Produção de telefones celulares no Brasil cai 61,4% em dezembro

Eduardo Tude

Segundo o IBGE, a produção de telefones celulares no Brasil apresentou uma redução de 61,4% na comparação de Dez/08 com Dez/07.

A mudança do quadro macroeconômico a partir de setembro teve efeito imediato sobre a atividade industrial no Brasil reduzindo principalmente a produção de automóveis e celulares no último trimestre de 2008.

As operadoras de celulares não estão repondo os seus estoques de aparelhos por não terem ainda uma visão do impacto da crise no mercado consumidor.

Com este resultado, a produção de telefones celulares no Brasil deve ficar próxima à de 2007.

 

 

Eduardo Tude

Presidente e sócio da empresa de consultoria Teleco, atua desde 2002 como analista do mercado de Telecom, coordenando projetos de consultoria, publicando artigos semanais, preparando relatórios setoriais e apresentando workshops.

Engenheiro de Telecom (IME 78) e Mestre em Telecom (INPE 81) é membro da Comissão julgadora do Global Mobile Awards do Mobile World Congress em Barcelona e atuou como professor especialista visitante da Unicamp (2013).

Ocupou várias posições de Direção em empresas de Telecom em áreas como Sistemas Celulares (Ericsson), Redes Ópticas (Pegasus Telecom) e Satélites (INPE).

Histórico

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

Produtos Teleco

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Telecom no Brasil 2017

 

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Market Update
27/Março

Regulamentação

Internet das Coisas

Mais Produtos