25
5/2013

Comentários
0

Celular em Abril, Pagamentos Móveis, SCM, MMDS, Telefônica/Vivo, 57º Painel TELEBRASIL e ...

Eduardo Tude

Crescimento do celular em abril


A Anatel divulgou o crescimento do celular em Abril. Neste mês foi a vez da Vivo liderar em adições líquidas e da Claro promover ajustes na base de pré-pago. (veja post neste blog)


Merece ainda destaque a Porto Seguro que atingiu 54,2 mil acessos como MVNO e 4G que atingiu 48,5 mil.


Pagamentos Móveis


O Governo publicou a Medida Provisória 615 que regulamenta o sistema de pagamentos no Brasil ampliando a supervisão do Banco Central sobre as entidades envolvidas.


No seu artigo 8º a MP estabelece que:


“ O Banco Central do Brasil, o Conselho Monetário Nacional, o Ministério das Comunicações e a Agência Nacional de Telecomunicações estimularão, no âmbito de suas competências, a inclusão financeira por meio da participação do setor de telecomunicações na oferta de serviços de pagamento e poderão, com base em avaliações periódicas, adotar medidas de incentivo ao desenvolvimento de arranjos de pagamento que utilizem terminais de acesso aos serviços de telecomunicações de propriedade do usuário.”


Ou seja, a bola agora está com o Banco Central que tem 180 dias para definir uma regulamentação mais detalhada com as condições mínimas para a prestação dos serviços.

 

Mudanças no SCM


A Anatel aprovou mudanças no Regulamento do SCM e no de Cobrança de Preço Público pelo Direito de Exploração de Serviços de Telecomunicações. As principais mudanças são:

  • Simplificação dos procedimentos para obtenção de outorga de SCM, STFC e SeAC, que poderão ser pedidas conjuntamente, e a consequente queda nos preços destas outorgas. O preço de uma outorga de SCM cai de R$ 9 mil para R$ 400,00, o que deve contribuir para a regularização de prestadoras de banda larga que ainda não possuem esta autorização.
  • No fornecimento de acesso em banda larga por prestadores de SCM com mais de 50 mil usuários, o serviço de conexão à internet (SCI) - considerado um Serviço de Valor Adicionado (SVA) - deve ser gratuito, não podendo ser cobrado em conjunto com a comunicação de dados.

MMDS


A Anatel definiu os valores a serem pagos pelas operadoras de celular que adquiriram as frequências de 2,5 GHz para as operadoras de MMDS que ocupavam estas faixas.


Claro e Vivo vão pagar R$ 104,7 milhões cada e Oi e TIM R$ 52,3 milhões cada.

 

A Telefônica/Vivo, que possuía operações de MMDS, vai receber de volta cerca de R$ 89 milhões.


A Anatel aprovou ainda a  aquisição da MMDS Bahia pela a Sky.


Reestruturação da Telefônica/Vivo


A Anatel aprovou a reestruturação das empresas do grupo Telefônica/Vivo em duas companhias: a Telefônica, as empresas de prestação de serviços de telecomunicações e a T Data, que reunirá as empresas de serviços de valores adicionados.


A reestruturação só pode ser concretizada após a revisão tarifária da telefonia fixa, para compartilhamento dos ganhos econômicos da operação com o usuário. A assinatura básica poderá ter queda entre 16% a 25%.



57º Painel TELEBRASIL


Realizado em Brasília, reuniu os principais executivos e autoridades do mercado de telecom, discutindo estratégias, políticas, investimentos e a conjuntura setorial.


A Carta de Brasília colocou o que é esperado do poder público para agilizar e ampliar o ciclo de investimentos do setor:

  1. Estabelecer uma regulamentação pró-investimentos, precedida de análise criteriosa dos impactos regulatórios e econômicos.
  2. Garantir equilíbrio no tratamento entre serviços regulados e não regulados que trafegam sobre as redes de banda larga.
  3.  Assegurar um modelo sustentável de Internet que estimule os investimentos e inovação, com a possibilidade de oferta de serviços diferenciados.
  4.  Promover a desoneração tributária em todas as esferas de governo, para aumentar o investimento e a massificação dos serviços.
  5. Liberar o uso de fundos públicos setoriais para atender regiões de menor atratividade econômica.
  6. Aprovar com urgência no Congresso Nacional o projeto de Lei das Antenas, alterar legislações municipais e eliminar a burocracia que impedem a melhoria da qualidade dos serviços e o desenvolvimento das redes.

 


Internacional: Nextel, Aplicativos e CTIA


A NII Holdings, controladora da Nextel Brasil, nomeou Ricardo K. xx-presidente da Brasil Telecom, como membro do seu conselho.


Segundo estudo da Canalys, apenas 34% dos Top 50 aplicativos pagos e Top 50 gratuitos, disponíveis nas lojas de aplicativos do Android e do iPhone, estão disponíveis no loja do Windows Phone ou BlackBerry Mundial.


Aconteceu esta semana o CTIA, principal evento de Celular dos Estados Unidos.



 

 

20
5/2013

Comentários
0

Vivo lidera o crescimento do celular em abril

Eduardo Tude

A Vivo liderou o crescimento do celular em abril com adições líquidas de 286 mil celulares, seguida pela TIM (221 mil), Oi (155 mil) e Claro (-224 mil).


A Vivo liderou em adições líquidas de pós-pago (305 mil) e a Oi no pré-pago (155 mil).


A Vivo parece estar estabilizando a sua base de pré-pago após a mudança no tempo de desligamento de inativos. Apresentou adições líquidas negativas de apenas -19 mil pré-pagos.


A Claro promoveu um ajuste em sua base de pré-pago em abril com adições líquidas de -382 mil pré-pagos. Este ajuste ocorreu nas regiões II e III.

 

 

19
5/2013

Comentários
0

Celular em Abril, GVT, CTBC, Telebrás, Qualidade, FTTH, Wi-Fi e outros destaques.

Eduardo Tude

Celular em Abril


Dados preliminares da Anatel indicam que as operadoras continuam ajustando suas bases de pré-pago, segmento que teria apresentado adições líquidas negativas (-168 mil) em abril.


Com este resultado a participação do pré-pago no total de celulares teria caído para menos de 80% (79,84%), o que não ocorria desde novembro de 2004.


O pós-pago, com adições líquidas de 667 mil continua puxando o crescimento do celular no Brasil.


Segundo estes dados, o Brasil teria terminado Abr/13 com 264,55 milhões de celulares e apresentado adições líquidas de 499 mil celulares em Abril.


Resultados GVT, CTBC e Telebrás para o 1º Trimestre de 2013 (1T13)


A GVT continua apresentando um bom desempenho e na comparação do 1T13 com o 1T12 a receita líquida cresceu 15,5%, impulsionada pelas receitas de banda larga e TV por Assinatura. Sua controladora (Vivendi) apresentou crescimento de -1,0% neste período.


Nos últimos 12 meses a GVT ampliou sua área de atuação para 20 novos municípios passando a atender a um total de 140. Sua margem EBITDA continua acima de 40% (40,1%).


A CTBC apresentou queda de 2,3% na sua receita líquida para o segmento de Telecom e na comparação do 1T13 com o 1T12.


A Telebrás apresentou receita de R$ 1,3 milhões no 1T13 e prejuízo de R$ 29,7 milhões no período.


Qualidade Celular


A Anatel publicou a segunda Avaliação Trimestral da Qualidade relativa aos meses de Nov/2012 a Jan/2013.

 
As operadoras estão dentro das metas estabelecidas pela Anatel para as taxas de acesso à rede de voz, queda de chamadas e queda de conexão, mas não estão ainda atendendo a meta taxa de acesso à rede de dados.


Foram apresentados resultados destas metas para 81 municípios.
A Claro foi a operadora que atendeu a meta de queda de chamadas e aceso à rede de dados em mais municípios (81 e 50 respectivamente). A Vivo em acesso à dede de voz (78 municípios) e a TIM em queda de conexão (75 municípios).


Medição da Banda larga fixa


A Anatel divulgou os primeiros resultados da medição da banda larga fixa no Brasil para os estados de MG, RJ e SP.


Todas as operadoras (NET, GVT, CTBC, OI e Vivo) atenderam as metas de velocidade média maior que 60% da contratada durante o mês e velocidade instantânea maior que 20% da contratada em pelo menos 95% das medições.


FTTH LATAM


Foi realizada esta semana em São Paulo a Conferência 2013 do FTTH Latin America. Entre os destaques as apresentações da Vivo, Copel e Cemig, que estão implantando redes FTTH no Brasil. A Vivo pretende chegar a 500 mil Home Passed até o final do ano.


Merece destaque também a apresentação da Antel que está pretende conectar com FTTH todos os municípios do Uruguai até 2015.


Hot-Spots Wi-Fi


A Anatel passou a disponibilizar em seu portal os hot-spots WiFi existentes no Brasil que totalizariam 24.154, sendo 18.611 da Oi.


Não está Claro o critério que está sendo utilizado para contabilizar um hot-spot como público. Podem estar sendo contabilizados hot-spots domésticos que são compartilhados com o público em geral utilizando a rede FON, com a qual a Oi tem parceria.

FON é uma comunidade global de usuários de internet que compartilham sua conexão banda larga Wi-Fi tornando-se assim ponto de acesso FON.


PNAD


O IBGE publicou esta semana estudo que ordena os dados de TIC da pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAD) de 2011 publicada em setembro do ano passado.

Já eram conhecidas, portanto, informações como a de que 89,9% dos domicílios brasileiros possuíam telefone celular em 2011, 46,5% da população com mais de 10 anos acessavam a Internet e 69,1% tinham um celular.

Outros destaques

  • O Magazine Luiza, que já vende um chip da Claro que leva a sua marca, agora está homologando um com a marca da Oi. O magazine vende em média 2 milhões de chips por ano.
  • A Anatel publicou os atos com a obrigação das operadoras móveis instalarem, no prazo de até 12 meses, sistema antifraude de aparelhos celulares por meio do número IMEI (identidade internacional de equipamento celular).
  • A Anatel já está analisando a integração da Claro, NET e Embratel em uma única empresa (1 cpf).
  • Foram reduzidas para 2% as alíquotas do Imposto de Importação (II) de alguns produtos de informática e telecomunicações. A redução vale até 31 de dezembro deste ano.
  • Proposta em relatório à Medida Provisória 606/2013 a ampliação em 12 meses o prazo para submissão dos projetos das empresas ao Regime Especial de Tributação do Plano Nacional de Banda Larga (REPNBL-Redes), atendendo desta forma reinvindicação das operadoras.
  • Anunciada a venda da Itautec para a Oki.

 

 

 

11
5/2013

Comentários
0

Vivo 1T13, Receita em queda no mundo, Qualidade (DTH x TV a cabo) e Política Industrial

Eduardo Tude

Resultados da Telefônica/Vivo no 1T13


A Telefônica/Vivo divulgou seus resultados para o 1º trimestre de 2013.


No Móvel, operadora liderou em adições líquidas de pós-pago no trimestre, mas continuou apresentando adições líquidas negativas no pré-pago devido à redução do prazo de desconexão de inativos.


O foco da Vivo é o “crescimento sustentado da receita móvel” investindo em pós-pago, dados e crescimento da recarga. O ARPU do 1T13 foi 3,4% maior que o do 1T12. A receita líquida de serviços móveis cresceu 7% neste período.


Na Fixa a operadora passa por um processo de transição em que o crescimento de sua rede FTTH e IPTV ainda não consegue compensar a perda de telefones fixos. A receita líquida da fixa apresentou queda de 8,9% na comparação do 1T13 com o 1T12.


No resultado total a Telefônica/Vivo apresentou crescimento de 2,9% da receita líquida no 1T13, em comparação com o 1T12. A margem EBITDA caiu para 32,1% e o lucro líquido de R$ 810 milhões foi 15,3% menor que o do 1T12.



Queda na receita das principais operadoras da Europa e Estados Unidos


Na comparação do 1T13 com o 1T12:

  • Telefônica: Grupo (- 8,8%) e Espanha (- 16,4%)
  • Telecom Italia: Grupo (- 8,1%) e Italia (-10,3%)
  • DT: Grupo (- 4,5%) e Alemanha (-1,6%)
  • France Telecom: Grupo (- 6,5%) e França (-6,2%)
  • BT: Grupo (-1,8%) e Reino Unido (-1,7%)
  • AT&T: -1,5%
  • Verizon: -1,2%

 

Diante destes resultados, fica fácil entender a importância do Brasil para os Grupos presentes no país.


A receita da Telefônica/Vivo ultrapassou a da Telefonica da Espanha e o Brasil passou a ser o país líder em receita no Grupo.


Pesquisa de qualidade da Anatel: TV por Assinatura


A pesquisa de qualidade realizada pela Anatel mostra que os usuários estão mais satisfeitos com o serviço de TV por Assinatura via satélite (DTH) do que com o de TV a Cabo.


Considerando-se como satisfeitos os que se declararam satisfeitos ou totalmente satisfeitos temos:

  • 77,4% estão satisfeitos com o DTH contra 35,8% da TV a Cabo.
  • 78,7% estão satisfeitos com o preço do serviço no DTH contra 28% da TV a Cabo.
  • 85,2% estão satisfeitos com "Som e Imagem", do DTH contra ninguém da TV a Cabo.


Este resultado ajuda a explicar o crescimento muito maior do DTH do que o da TV a Cabo



Debate sobre Política Industrial


Realizou-se esta semana o 33º encontro tele.síntese e que teve como tema os efeitos no mercado das novas políticas governamentais de politica industrial, entre as quais de destaca:

  • Exigências de aquisição de produtos com tecnologia nacional impostas na licitação de 4G
  • Desoneração com o Regime Especial do Plano Nacional de Banda Larga (REPNBL)
  • Política de compras do Governo, com ampliação da margem preferência para 25%.
  • Plano Inova Empresa (produtividade e competitividade)dentro do Plano Brasil Maior
  • Consulta Pública 06: Regulamento de Estímulo a Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Telecomunicações.


Estiveram presentes o presidente do BNDES Luciano Coutinho, representantes do MiniCom, Anatel, operadoras e fornecedores.


Algumas questões continuam em aberto, como salientou como o peso do “Custo Brasil” e o incentivo para SW.

 

 

4
5/2013

Comentários
2

4G e resultados 1T13 de TV por Assinatura, Oi, TIM e Nextel foram os destaques

Eduardo Tude

4G


O 4G teve o seu lançamento oficial passando a estar disponível em 12 municípios e para 16,7% da população. Para detalhes consulte o Blog 3G/4G do Teleco.


Resultados da Oi, TIM e Nextel


Os resultados para o 1T13 da Oi e da TIM estiveram em linha com as tendências dos trimestres anteriores, como comentado neste blog.


A Oi vendeu o direito de uso de 4 mil torres da telefonia fixa e por R$ 1 bilhão e vai poder contabilizar um aumento do seu lucro líquido em 2012 da ordem de R$948 milhões devido à decisão da CVM que acatou os argumentos da Oi no sentido de que o estorno da citada mais valia registrada na Oi (no valor total de R$12.849 milhões em 31/12/2012), e sua recomposição na Telemar Participações, é o tratamento contábil mais adequado para tal evento.


A Anatel multou Tim em R$ 9,5 milhões naquele processo de queda de chamadas mas admite não ter como comprovar "má-fé" por parte da operadora.


A Nextel voltou a apresentar adições líquidas positivas no Brasil, mas apresentou queda de 22,9% na receita do 1T13 em comparação com o 1T12. O Grupo depende do sucesso de sua rede 3G no Brasil e no México para voltar a crescer.

 
TV por assinatura


As adições líquidas de 620 mil acessos de TV por Assinatura no 1T13 foram 33% menores qu as do 1T12.


A Embratel/Net liderou o crescimento no 1t13 com adições líquidas de 194 mil acessos, seguida pela SKY (209 mil), Oi (92 mil) e GVT 61 mil. SKY, Oi e GVT ganharam market share no trimestre.


Produção de Telefones celulares no Brasil


A produção de celulares no Brasil continuou em sua trajetória de queda em março: -10,9% em relação á mar/12. A queda acumulada no 1T13 foi de 8,7%. A quantidade exportada caiu 34,8% neste período e a importada 46,6%.


Os Smartphones beneficiados com a desoneração fiscal começam a ser encontrados no comércio com preços até 13% menores.


Portabilidade


A quantidade de números portados também continua em queda no país. A queda no acumulado dos quatro primeiros meses do ano foi de 7,9% para os fixos e 12,1% para os celulares.


México


O Congresso do México aprovou lei que reforma o marco regulatório das Telecomunicações no país. O objetivo é a aumentar a competição. Será criado um Órgão regulador (Instituo Federal de Telecomunicações).


Anatel


A Anatel, que está implementando sua nova estrutura organizacional, publicou o seu relatório anual 2012.

 

 

1
5/2013

Comentários
0

Resultados da Oi, TIM e América Móvil no 1T13

Eduardo Tude

Oi e TIM divulgaram os seus resultados para o 1º trimestre de 2013 na terça (30/04), juntando-se à América Móvil (Claro, Embratel e Net) que divulgou seus resultados duas semanas atrás.


Os resultados das três operadoras não apresentam surpresas e estão em linha com os resultados dos trimestres anteriores.


Os destaques na comparação dos resultados do 1T13 com os do 1T12 foram:

  • A TIM apresentou o maior crescimento da receita líquida (5,4%), seguida pela Oi (3,5%) e pela América Móvil (3,0%).
  • A Oi apresentou a melhor margem EBITDA entre as três (30,4%) e foi a única a apresentar melhora em relação ao 1T12.


A América Móvil liderou em adições líquidas de acessos móveis e fixos (telefones fixos, banda larga fixa e TV por Assinatura).  A Claro procura  melhorar seu desempenho alavancando sua imagem com o lançamento da 4G.


A Oi vem executando com sucesso o planejamento traçado no início de 2012. O questionamento feito por analistas é quanto ao montante pago de dividendos, tendo em vista o tamanho da dívida da Oi e as necessidades de investimentos.


A TIM vem trabalhando na melhoria da qualidade de seus serviços e está aumentando seu foco em serviços de dados. Está conectando com fibras suas ERBs 3G/4G.


 

 

Eduardo Tude

Presidente e sócio da empresa de consultoria Teleco, atua desde 2002 como analista do mercado de Telecom, coordenando projetos de consultoria, publicando artigos semanais, preparando relatórios setoriais e apresentando workshops.

Engenheiro de Telecom (IME 78) e Mestre em Telecom (INPE 81) é membro da Comissão julgadora do Global Mobile Awards do Mobile World Congress em Barcelona e atuou como professor especialista visitante da Unicamp (2013).

Ocupou várias posições de Direção em empresas de Telecom em áreas como Sistemas Celulares (Ericsson), Redes Ópticas (Pegasus Telecom) e Satélites (INPE).

Histórico

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

Produtos Teleco

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Telecom no Brasil 2017

 

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Regulamentação
05/Dezembro

Market Update

Internet das Coisas

Mais Produtos