Seção: Comentários Teleco

 27/06/05


Pós-pago acelera o crescimento no Brasil

 

O celular pré-pago tem sido a grande vedete do crescimento do celular no Brasil. Em maio de 2005 81% dos 73,7 milhões de celulares existentes no Brasil eram pré-pagos.

 

O crescimento dos celulares pós-pagos vem se acelerando nos últimos meses. Em maio de 2005 existiam 14 milhões de celulares pós-pagos o que corresponde a uma densidade de 7,6 celulares pós-pagos por 100 habitantes.

 

 

No primeiro trimestre de 2005 o crescimento do celular apresentou um comportamento atípico. O pós-pago apresentou um crescimento percentual maior (5,7%) que o pré-pago (4,4%).

 

Certamente os lançamentos de planos pós-pagos com controle de gastos têm contribuído para este crescimento. Os menores preços dos aparelhos quando comprados nestes planos têm atraído um público com características de uso similares às dos clientes pré-pagos.

 

 

O crescimento do pré-pago é movido por promoções e tem seus picos nos meses de dezembro (Natal) e maio (dia das mães). Já o pós-pago apresenta um crescimento mais uniforme durante o ano.

 

Apesar dos celulares pós-pagos apresentarem um ARPU mais de 4 vezes maior que o dos celulares pré-pagos, este crescimento deve ser comemorado com cautela pelas operadoras, como exemplificado pelo que ocorreu com a Vivo no 1T05.

 

ARPU da Vivo

 

ARPU (R$)
2T04
3T04
4T04
1T05
Total
33
32
31
29
Pós
82
81
80
77
Pré
19
18
18
16

ARPU: Receita média por usuário

 

O número de celulares pós-pagos da Vivo cresceu 2,4% no 1T05 enquanto o de pré-pagos cresceu 1,4%. O crescimento do número de celulares pós-pagos veio acompanhado no entanto de uma queda no ARPU dos celulares pós-pagos. A exemplo do que ocorre com os celulares pré-pagos, uma ampliação da sua base, leva à incorporação de clientes com consumo menor e consequentemente à diminuição do ARPU.

 

A importância dos clientes pós-pagos para as operadoras continua sendo grande. Na Vivo, os 20% de celulares pós-pagos representam 53% da receita liquida de serviços desta operadora. Na Telemig Celular os 27% de pós-pago respondem por 65% da receita líquida de serviços.

 

Diante deste quadro pergunta-se:

  • O crescimento do número de celulares pós-pagos continuará a se acelerar?
  • Os planos pós-pagos com controle de gastos podem canibalizar as receitas das operadoras?
  • A percentagem de celulares pós-pagos irá se estabilizar em 2005?
  • Um maior número de celulares pós-pagos ajudará a melhorar o ARPU das operadoras de celular?

 

Comente.

 

Para enviar um comentário clique em: teleco@teleco.com.br

 

Comentário de Eduardo Chacon

 

Com relação ao crescimento do celular pós pago, com certeza a tendência de cescimento continuará. Por vários motivos:

  • - As operadoras estão oferecendo planos vinculados a aparelhos, que cabem em qualquer bolso
  • - Os fabricantes, estão oferecendo aos clientes, aparelhos com diversos recursos, que agradam bastante o cliente pós pago.
  • - O amadurecimento do mercado, leva ao incremento de serviços e consequentemente, melhor receita à operadora
  • Analisando os itens acima, percebemos que a tendência de crescimento do pós pago é uma realidade, que trás benefícios aos clientes e operadoras.

Comente!

Para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site, clique aqui!

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

Loading
CONSULTORIA TELECO

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Celular Brasil 2016

Telecom e Capex

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Internet das Coisas
27 de Junho

Market Update

Regulamentação

Mais Produtos

 
 

EVENTOS

Workshop de Internet das Coisas

Organizador: Teleco
27 de junho

Mais Eventos

LIVROS

 




 

 


Siga o Teleco

linkedin

 

...