Seção: Comentários Teleco

 


Comentário

Atualizado em: 07/03/2005

 

Quem vai comprar a Telemig e a Amazônia Celular?

 

O Grupo Opportunity decidiu colocar à venda suas participações na Telemig e Amazônia Celular. Comunicado de "Fato Relevante" enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em 4 de março de 2005, informa que será iniciado processo competitivo de venda de mais de 50% do capital votante. O comunicado convida ainda os demais acionistas (Previ, Sistel, Petros, Telos, Funcef entre outros) a participar do processo. (Nota: o processo de venda foi suspenso posteriormente)

 

A Telemig e Amazônia Celular possuíam 4 milhões de celulares e 6% de market share em dez/04. Estas operadoras utilizam tecnologias GSM e TDMA. A Telemig Celular adquiriu em 2004 a licença da Banda E para operar no restante de Minas Gerais.

 

 

A venda destas operadoras vem sendo esperada há muito tempo pelo mercado e é parte do processo da consolidação das operadoras no Brasil. Fica mais uma vez comprovado que não existe espaço para "players" regionais neste mercado.

 

Os principais candidatos a comprar estas operadoras são Brasil Telecom (BrT), Claro e Vivo, opções analisadas a seguir. A compra é menos atrativa para a Tim e a Oi pois elas já possuem operações nestas regiões.

 

Brasil Telecom

 

A aquisição destas operadoras pela Brasil Telecom representaria uma mudança de rumo na estratégia de convergência fixo-móvel da BrT GSM uma vez que a maior parte de seus clientes passaria a estar em regiões onde a BrT não é a concessionária de telefonia fixa. A BrT GSM possuia 622 mil celulares em dez/04 e colocou como meta 1,7 milhões de celulares no final de 2005. Esta aquisição dificultaria também uma união futura com a Oi(Telemar).

 

Como a Brasil Telecom é controlada pelo próprio Opportunity a estratégia de venda da Telemig e Amazônia Celular deve fazer parte da estratégia da operadora para resolução do conflito com a Telecom Italia pelo controle da Brasil Telecom. O prazo dado pela Anatel para resolução do conflito acaba em Jul/05 (Mais detalhes). Neste caso é possível vislumbrar dois cenários principais:

  • O Opportunity venderia o controle da Brasil Telecom para a Telecom Italia, mas ficaria com a Brasil Telecom GSM. Neste caso, com a BrT comprando antes a Telemig e a Amazônia Celular, o Opportunity receberia de volta estas operadoras.
  • O Opportunity compraria a parte da Telecom Italia na BrT. Neste caso a venda destas operadoras serviria para fazer caixa para esta aquisição.

De qualquer forma, a presença da BrT no processo é mais uma "carta" para o Opportunity. Afinal, trata-se de um leilão privado em que o vendedor também participa como comprador.

 

Claro

 

A aquisição destas operadoras é crucial para a Claro pelos seguintes motivos:

  • Consolidaria a sua posição de segunda operadora em número de celulares passando a ter 27% de market share e aumentaria a vantagem em relação a Tim de 69 mil para mais de 4 milhões de celulares (dez/04).
  • Completaria a sua área de cobertura passando a estar presente, da mesma forma que a Tim, em todos os estados do Brasil.
  • A incorporação de duas operadoras de Banda A teria um efeito positivo na rentabilidade da operadora que apresentou margem EBITDA de 0,3% em 2004.

O ponto negativo seria a necessidade de devolver a licença de Banda E adquirida para Minas Gerais com o pagamento da respectiva multa. Este não parece ser um problema no entanto, pois situação semelhante ocorreu quando a Claro adquiriu a BCP.

 

Vivo

 

A Telemig Celular preencheria uma grande lacuna na cobertura Vivo que não opera em Minas Gerais. Com esta aquisição ficaria faltando a Vivo atender apenas a área 10 (Nordeste).

 

A incorporação da Telemig Celular custaria, no entanto, mais caro para a Vivo do que para seus competidores. Ela teria de descontinuar a rede GSM que a Telemig Celular acabou de implantar em mais de 300 localidades, e que representou um investimento de R$ 250 milhões em 2004, e implementar um rede CDMA, tecnologia principal da Vivo. Não teria uso também para a licença da Banda E adquirida pela Telemig para a região da CTBC Celular.

 

Com relação à Amazônia Celular, caso seja adquirida conjuntamente com a Telemig Celular, a Vivo teria de revende-la, ou vender a NBT, sua operadora na região, para uma outra operadora. Neste caso a Claro seria a candidata mais forte.

 

Diante deste quadro pergunta-se:

  • Quem irá comprar estas operadoras?
  • A Claro adquiriu a BCP que possuia 1,7 milhões de celulares por US$625 milhões em 2003. Por quanto Amazônia e Telemig Celular serão vendidas?
  • Este é o melhor momento para o Opportunity vender estas operadoras? Deveria ter vendido antes? Deveria esperar mais? O que pesou mais na decisão? Resolução do conflito com a Telecom Italia? Proximidade da entrada em operação da Claro em Minas Gerais?
  • Como este processo afeta a competição e o crescimento do celular no Brasil em 2005? E as licenças de 3G que a Anatel pretende licitar em 2005?

Comente!

Para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site, clique aqui!

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

Loading
CONSULTORIA TELECO

Inteligência em Telecom

Estudos e Base de Dados

Relatórios

Celular Brasil 2016

Telecom e Capex

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Workshops

Market Update

04 de Abril

Regulamentação de Telecom

Mais Produtos

 
 

EVENTOS

Workshop Teleco Market Update 2016

Organizador: Teleco
4 de abril

IoT BRASIL SUMMIT 2017

Organizador: Telesemana/Teleco
5 de abril

Mais Eventos

LIVROS

 




 

 


Siga o Teleco

linkedin

 

...