Seção: TV Digital

06/12/2015

TV Digital no Brasil

 

TV Digital no Brasil Cronograma Solicitação de Canais Depoimentos Canais Consignados Cobertura

Nesta página: Apresenta o que é a TV Digital e acompanha o seu processo de implantação no Brasil.


 

Aniversário da TV Digital ocorre dias após o desligamento do sinal analógico ser adiado

 

No dia 2 de dezembro de 2015, o padrão ISDB-T de TV digital completou 8 anos de operação no Brasil. O aniversário ocorreu dias após ter sido adiado o desligamento piloto da TV analógica, que estava marcado 29/11/15, na cidade de Rio Verde (GO). Uma pesquisa do IBOPE, apontou que apenas 69% dos domicílios do município que recebem TV aberta estavam aptos a receber o sinal de TV digital. A exigência era de que este índice deveria chegar a 93%.

 

 

Mudanças no Cronograma não atingiram liberação da faixa

 

Está marcada para 09/12/2015, uma reunião que poderá estabelecer um novo calendário para o processo. Segundo o ministro das comunicações, André Figueiredo, "tendência é que os desligamentos fiquem para depois das Olimpíadas". Entretanto, a data o desligamento total do sinal analógico e a liberação da frequência de 700 Megahertz (31 de dezembro de 2018) deverá ser mantida, de acordo com Figueiredo.

 

O desligamento da TV analógica irá liberar parte do espectro em 700 MHz para ser utilizado para banda larga móvel (4G).

 

Dúvidas sobre TV Digital? Acesse: www.teleco.com.br/tvd_duvida.asp

 

 

TV Digital: O que é?

 

 

A TV aberta (terrestre) transmitida para os televisores existentes em 90% das residências brasileiras utiliza canais analógicos com largura de banda de 6 MHz.

 

Na TV Digital a transmissão do áudio e do vídeo passa a ser feita através de sinais digitais que, codificados, permitem um uso mais eficiente do espectro eletromagnético, devido ao aumento da taxa de transmissão de dados na banda de freqüências disponível.

 

É possível desta forma transmitir:

  • Som e imagem de melhor qualidade viabilizando a Televisão de Alta Definição (HDTV). A resolução da imagem na TV analógica que é de 400 x 400 pixels poderá ser de até 1920 x 1080 pixels.
  • Mais canais (até 4) na mesma faixa de freqüências utilizada por um canal analógico.

A TV digital apresenta algumas funcionalidades que permitem uma interatividade entre o telespectador e a emissora possibilitando:

  • O acesso à informações adicionais como por exemplo o menu de programação.
  • A interação do usuário com a emissora, através de um canal de retorno via linha telefônica por exemplo, possibilitando a este votar ou fazer compras.

 

 

TV Digital - Tire suas dúvidas

 

 

Receptores de TV

 

 

Com a introdução da tecnologia digital na radiodifusão de TV (TV Digital Terrestre), o usuário poderá optar por uma das seguintes situações:

  • Continuar a receber a TV aberta da forma atual utilizando a sua TV analógica.
  • Adquirir um conversor (set top box) que permitirá receber o sinal digital e convertê-lo para um formato de vídeo e áudio disponível em seu receptor de TV
  • Adquirir uma TV nova que já incorpore o conversor.
Como ficam os receptores de TV atuais com a TV Digital?

 

 

 

Tecnologias

 

Existem em todo o mundo três sistemas de TV Digital – o sistema americano (ATSC), o sistema europeu (DVB) e o sistema japonês (ISDB).

 

Tecnologias de TV Digital.

 

 

Consulta pública da faixa de 700 MHz e Testes de Convivência do 4G e da TV Digital

 

A Anatel encerrou, no dia 3 de junho de 2014, as consultas públicas que abordavam as propostas de edital de licitação para autorização de uso de radiofrequências na faixa de 700 MHz, associada à autorização para prestação do Serviço Móvel Pessoal (Consulta Pública 19/2014), e de Regulamento sobre condições de convivência entre o serviço de radiodifusão de sons e imagens do Sistema Brasileiro de Televisão Digital e os serviços telecomunicações na faixa de 698 MHz a 806 MHz (Consulta Pública 18/2014). Não houve prorrogação.

 

Durante o período de consulta pública foi levantada a possibilidade de interferência do 4G na recepção da TV digital em casa. Sobre isso, no dia 5 de junho, o presidente substituto da Anatel, Jarbas Valente, garantiu que os aparelhos conversores e filtros contra interferência serão suficientes para garantir que a TV não sofrerá interferências.

Em maio, a Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica Eletrônica) apresentou os resultados dos testes de convivência entre o sistema de banda larga móvel (LTE) e o sistema de TV Digital. Os estudos apontaram que, mesmo nas eventuais situações desfavoráveis, a convivência entre os dois sistemas é sempre possível, desde que aplicadas técnicas de mitigação. Os testes demonstraram também que as interferências da TV Digital no sistema LTE não foram suficientes para afetar a disponibilidade de banda larga móvel aos usuários.

 

Os valores dos lotes em licitação estarão disponíveis somente na versão final do edital.

 

Abaixo estão os relatórios dos testes de convivência entre a TV digital e os serviços de telecomunicações na faixa de 700 MHz.

 

- Divulgados Pela Abinee:

- Relatório Simulações

- Relatório Medições de Campo

- Relatório Medições de Laboratório

 

- Divulgados no site da Anatel:

- Relatório de Teste Laboratorial de Interferência do LTE na faixa de 700 MHz no ISDB-T

- Relatório do Teste em Campo sobre a Convivência do LTE na faixa de 700 MHz com ISDB-T

 

 

Implantação da TV Digital no Brasil

 

Em Jun/06 o Brasil adotou o padrão japonês (ISDB) para a TV Digital terrestre.

 

Escolha do padrão de TV Digital

 

 

A definição ocorreu através do Decreto 5.820. Os principais pontos definidos no decreto são:

  • O decreto definiu que o Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre (SBTVD-T) adotará, como base, o padrão de sinais do ISDB-T e possibilitará transmissão digital em alta definição (HDTV) e em definição padrão (SDTV); transmissão digital simultânea para recepção fixa, móvel e portátil; e interatividade.
  • Ás emissoras de TV receberão um canal de radiofreqüência com largura de banda de 6 MHz para cada canal analógico que possuam.
  • A transmissão analógica continuará ocorrendo, simultaneamenteà digital, por um período de 10 anos até 29/06/2016. A partir de Jul/2013 somente serão outorgados canais para a transmissão em tecnologia digital.
  • Deverão ser consignados pelo menos quatro canais digitais para a exploração direta pela União Federal como canal do Poder Executivo, Canal de Educação, Canal de Cultura e Canal de Cidadania.

Em Out/06 foram definidas as etapas a serem cumpridas por cada Emissora de TV analógica para implantação da TV Digital no Brasil (Port MC 652).

 

O início das transmissões de TV Digital terá início na cidade de São Paulo e se estenderá depois para as demais capitais e principais cidades, até atingir todo o país.

 

 

Cronograma de implantação da TV Digital no Brasil

 

No Teleco:

Íntegra do Decreto 5.820, define o padrão Japonês

Íntegra da Portaria Minicom 652 10/12/2006

 

 

Normas aplicáveis a TV Digital no Brasil

 

Os equipamentos utilizados para a transmissão de TV Digital no Brasil devem ser homologados pela Anatel atendendo os requisitos da Norma:

 

Norma para Certificação e Homologação de Transmissores e retransmissores para o SBTVDT, Anexo à Resolução Anatel Nº 498, de 27/03/2008.

 

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), publicou em novembro de 2007, homologou as Normas Brasileiras relacionadas ao padrão de transmissão de televisão digital adotado no Brasil, desenvolvidas pelo Fórum do Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD).

 

Referência Título
ABNT NBR15601 Televisão digital terrestre - Sistema de transmissão
ABNT NBR 15602-1 Televisão digital terrestre - Codificação de vídeo, áudio e multiplexação - Parte 1: Codificação de vídeo
ABNT NBR 15602-2 Televisão digital terrestre - Codificação de vídeo, áudio e multiplexação - Parte 2: Codificação de áudio
ABNT NBR 15602-3 Televisão digital terrestre - Codificação de vídeo, áudio e multiplexação - Parte 3: Sistema de Multiplexação de sinais
ABNT NBR 15603-1 Televisão digital terrestre - Multiplexação e serviços de informação (SI) - Parte 1: Serviços de informação do sistema de radiodifusão
ABNT NBR 15603-2 Televisão digital terrestre - Multiplexação e serviços de informação (SI) - Parte 2: Sintaxes e definições da informação básica de SI
ABNT NBR 15603-3 Televisão digital terrestre - Multiplexação e serviços de informação (SI) - Parte 3: Sintaxe e definição da informação estendida do SI
ABNT NBR 15604 Televisão digital terrestre - Receptores
ABNT NBR 15606-1 Televisão digital terrestre - Codificação de dados e especificações de transmissão para radiodifusão digital - Parte 1: Codificação de dados
ABNT NBR 15606-2 Televisão digital terrestre - Codificação de dados e especificações de transmissão para radiodifusão digital - Parte 2: Ginga-NCL para receptores fixos e móveis - Linguagem de aplicação XML para codificação de aplicações
ABNT NBR 15606-3 Televisão digital terrestre - Codificação de dados e especificações de transmissão para radiodifusão digital - Parte 3: Especificação de transmissão de dados
ABNT NBR 15606-5 Televisão digital terrestre - Codificação de dados e especificações de transmissão para radiodifusão digital - Parte 5: Ginga-NCL para receptores portáteis - Linguagem de aplicação XML para codificação de aplicações
ABNT NBR 15607-1

Televisão digital terrestre - Canal de interatividade - Parte 1: Protocolos, interfaces físicas e interfaces de software

 

 

Grupos de Trabalho

 

Fórum de TV Digital, cujo Comitê Executivo apresenta 11 membros: quatro da indústria - sendo dois do segmento de transmissão e dois de aparelhos de recepção; quatro da radiodifusão; dois de universidades e um da indústria de software.

 

Fórum de TV Digital: www.forumsbtvd.org.br

 

 

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, através de portaria de 31/07/2006 criou o Grupo Executivo de Televisão Digital, que terá como incumbência definir e implementar ações relacionadas com o Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre (SBTVD-T) nas áreas de competência do MDIC e suas unidades.

 

Tutoriais no Teleco:

TV Digital

TV Digital no Brasil

DVB, Um modelo mundial para TV Digital no Brasil?

TV Digital: Uma Visão Geral da Escolha de um Padrão

Padrões de Middleware para TV Digital

 

ATSC: www.atsc.org

DVB: www.dvb.org

NHK: www.nhk.or.jp/strl/open99/bs-1

Fórum de TV Digital: www.forumsbtvd.org.br

DTV: www.dtv.org.br

 

 

Consulte a Palestra: A TV Digital no Brasil

Palestra proferida pelo Superintendente de Serviços de Comunicação de Massa, no evento "TV Digital no Brasil" promovido pela SET em 30 de março de 2007 em São Paulo/SP.

 

 

Loading
CONSULTORIA TELECO

Relatórios

Telecom, Celular e Capex

Workshops

Market Update
16 de Março

> Regulamentação de Telecom

Venda de Planilhas

Dados históricos do Mercado Brasileiro

Consultoria

Estudos e Base de Dados

Mais Produtos

 

EVENTOS

Mais Eventos




 

 


Siga o Teleco

linkedin

 

...

TV Digital