Atualizado em: 09/03/2019

 

Quem terá o melhor desempenho em 2019: Vivo ou Claro?

 

Vivo e Claro são as duas principais operadoras de telecom do Brasil, com receita líquida em 2018 de R$ 43,4 bilhões e R$ 35,7 bilhões, respectivamente. Na Vivo, 62,9% da receita vem do móvel e na Claro 64,5% vem do fixo.

 

Nota: Dados proforma da Vivo (excluindo os efeitos da adoção da IFRS 151). Informações da Claro têm como fonte a America Móvil.

 

As duas operadoras apresentaram um desempenho positivo em 2018, com a receita líquida total da Vivo crescendo 0,6% e a da Claro 0,5%. Ambas as operadoras apresentaram crescimento na receita de serviços móveis e perdas na de serviços fixos. Na Claro, foi necessário um crescimento de 9,5% da receita líquida de serviços móveis para compensar as perdas de 3,5% na receita de serviços fixos, que representam a maior parte de sua receita.

 

Nota: Crescimento em relação ao ano anterior.

 

Mantidas as tendências atuais, as duas operadoras devem apresentar crescimento da receita em 2019 próximo do apresentado em 2018. A tendência é de um crescimento menor na receita de serviços móveis da Claro e de perdas menores na receita de serviços fixos das duas operadoras.

 

Serviços Móveis

 

As receitas de serviços móveis da Vivo e da Claro devem continuar apresentando crescimento positivo em 2019, embora a tendência dos últimos trimestres seja para um crescimento menor.

 

Nota: Crescimento em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

 

O crescimento da receita de serviços móveis digitais (principalmente vídeo) e da base de pré-pago serão importantes para estimular esse crescimento. A Vivo aumentou sua base em 3,6 milhões de pós-pagos em 2018 e a Claro em 3,2 milhões.

 

Serviços Fixos

 

As receitas de serviços fixo da Vivo e da Claro devem continuar apresentando crescimento negativo em 2019, embora a tendência dos últimos trimestres aponte para perdas menores.

 

Nota: Crescimento em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

 

Na Vivo, o crescimento da receita da BL Fixa (+6,8%) não foi suficiente para compensar a perda de receita da telefonia fixa (-18,2%) no ano. A tendência é que, nos próximos anos, o crescimento da BL Fixa compense essa perda.

Em 2018, BL Fixa se tornou a principal receita fixa da Vivo (47,7%) superando a telefonia fixa (40,3%).   A TV por assinatura apresentou crescimento da receita (+1,2%), apesar da perda de assinantes de DTH.

 

Nota: Fonte Anatel.

 

Na Claro, o crescimento da receita de BL Fixa em 2018 não compensou as perdas de receita na telefonia fixa (longa distância) e na TV por assinatura (DTH). Um crescimento da receita fixa em 2019 depende da diminuição das perdas na TV por assinatura que representa a principal receita fixa da Claro.

 

Rentabilidade

As duas empresas estão procurando melhorar a sua rentabilidade, mas a Vivo tem apresentado margem EBITDA maior que a da Claro.

 

Nota: Margem EBITDA Recorrente

 

Em 2019, a expectativa é que a Vivo mantenha sua margem EBITDA em cerca de 35% e que a margem EBITDA da Claro supere o patamar dos 30%.

 

 

Diante deste cenário, pergunta-se:

 

 

 

 

Comente!

Use o espaço abaixo para enviar sua opinião para publicação como comentário a esta matéria para nosso site:

 

Nota: As informações expressadas nos artigos publicados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do autor.

 

 

EVENTOS

Mais Eventos