03/11/2019

 

Como foi: Futurecom 2019

 

A 21ª edição do Futurecom aconteceu de 28 a 31 de outubro, em São Paulo, e pela segunda vez o evento foi realizado no São Paulo Expo. O Futurecom, é o maior e mais qualificado evento de Telecomunicações e TI da América Latina. Neste ano, o foco foi a Transformação que a tecnologia promove nas relações do mercado entre corporações e stakeholders de diversos setores da economia.

 

Cerimônia de Abertura

A cerimônia de abertura foi realizada na noite do dia 28 de outubro e contou com a participação de João Dória, governador do estado de São Paulo, Julio Semeghini, secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), entre outras autoridades.

 

Em seu discurso, João Dória, falou sobre a inauguração do Centro Internacional de Tecnologia e Inovação - CITI, com início de suas atividades previsto para o primeiro trimestre de 2020. O governo do estado participará do projeto através da cessão do espaço onde hoje funciona o IPT, na USP. Segundo o governador, o dinheiro investido será privado e o objetivo é ter um Vale do Silício em São Paulo.

 

O maestro João Carlos Martins se apresentou com sua orquestra e o robô Joquinha, desenvolvido para auxiliar o maestro durante a regência, mostrando que tecnologia e artes podem caminhar lado a lado.

 

Congresso Internacional

O 5G foi tema constante nas palestras e painéis do congresso.

 

Julio Semeghini (MCTIC) abriu o primeiro dia do congresso e, durante sua palestra, afirmou que o plano é realizar o leilão do 5G ainda em 2020. Entre outros pontos abordados pelo secretário-executivo do MCTIC estão: a regulamentação da Lei das Antenas, a expansão do 4G e eventualmente do 5G para áreas rurais mais populosas e produtivas, e também a expansão das redes de fibra nas cidades, orientada pela cobertura de escolas urbanas.

 

Os presidentes das operadoras apresentaram em suas palestras dados operacionais e financeiros das empresas, projetos nos quais suas operadoras têm investido, planos para o futuro, além de darem suas visões sobre os desafios encontrados pelo setor no Brasil.

 

Para Pietro Labriola (CEO da TIM), além de realizar o leilão do 5G, o Brasil precisa de adotar medidas para solucionar os desafios para a implantação do 5G no país. Neste aspecto Labriola pontuou a necessidade de aumentar o adensamento de antenas para maior capacidade, reduzir a burocracia para instalação de antenas, investir em estrutura de transporte e backbone, implementar regulamentação para incentivar investimento e compartilhamento de infraestrutura e promover um leilão não arrecadatório que garanta a eficiência de uso do espectro.

Labriola também apresentou o Labotarório 5G, implantado em Santa Rita do Sapucaí (MG) em parceria com a Ericsson e o Inatel, que é um ecossistema para experimentação da tecnologia com usuários reais em ambientes do dia a dia. Lá, os clientes finais, pesquisadores, empresas, startups e instituições públicas interagem com novos produtos, casos de uso, serviços e soluções em geral.

 

Estanislau Bassols, presidente da Sky, falou sobre a mudança que vem ocorrendo no modelo tradicional de distribuição de mídia. Bassols ressaltou a necessidade de alteração da Lei do SeAC a fim de atualiza-la para que regulamente o atual ambiente de mídia, deixando de restringir novos serviços e de criar assimetrias os serviços de TV por assinatura e OTTs. Para ele, os três pontos a serem adotados são: Foco no cliente, Simplficação da regulamentação e Democratização do entretenimento. O representante da Sky também falou sobre os impactos da pitataria quem segundo ele, é o terceiro maior player no mercado brasileiro.

 

Christian Gebara, CEO da Telefônica Vivo, enfatizou o maior volume de investimentos que as operadoras deverão fazer para a implantação do 5G, afirmando que a empresa já está engajada a esta mudança. O CEO reforçou que o leilão não seja visto como meio arrecadatório, e que os compromissos de cobertura sejam condizentes com a realidade do país. Destacou que as maiores operadoras não podem ser desfavorecidas, já que elas é que vão conseguir realizar cobertura nacional. Um importante passo, segundo o CEO, foi a aprovação do novo marco legal, porém há a necessidade da melhoria da Lei das Antenas e que haja meios para que a tributação seja simplificada.

 

Rodrigo Abreu, COO da Oi, garantiu que a empresa irá adquirir frequências 5G, até para compensar a não participação da Oi no leilão de frequências de 700 MHz. Abreu também falou sobre a venda de ativos da Oi, dentre eles estão torres de transmissão, redes de fibra, data centers, entre outros. Segundo o COO, a empresa também está trabalhando com um plano de negócio que atenda pequenos provedores, oferecendo a eles modelo de transporte e backhaul. Outra iniciativa é o modelo de parceria com pequenos provedores no formato de franquia.

 

A Netflix esteve presente pela primeira vez na Futurecom através de seu CPO, Greg Peters. Segundo ele, a tecnologia, streaming e mobiles estão mudando como se produz e se distribui entretenimento ao redor do mundo ao levar conteúdos produzidos localmente para o mercado global. Peters citou as séries brasileiras Coisa Mais Linda e Irmandade que estão disponíveis em todos os países onde a Netflix atua.

 

Neste ano, o evento ampliou seu portifólio incluindo os seguintes pilares:

Meios de Pagamentos: Com debates sobre tecnologias e soluções para pagamentos e serviços financeiros. Entre os pontos abordados estiveram o uso de APPs, criptomoedas, varejo 4.0, e-wallets, Open Banking, biometria facial para pagamentos, além de estratégias para E-commerce e para prospecção de clientes entre a população desbancarizada.

Governo: Abordou tecnologia e inovações para gestão pública e atendimento da população. Neste pilar foi levantadas questões como "Como promover a Transformação Digital de serviços e produtos públicos?" e ainda temas como Cidade Inteligentes, Governança Digital, computação em nuvem aplicada ao governo, APPs conectando cidadãos, uso de IA em órgãos da administração pública, oferta de serviços digitais, mobilidade inteligente, além de cases de municípios como Jundiaí, Bauru e São Paulo (SP) e Santa Rita do Sapucaí (MG).

Judiciário: Trouxe tecnologia e soluções para o funcionamento do Poder Judiciário. Os painéis e palestras abordaram o Jurdiciário 4.0, Machine Learning, impactos legais e éticos na contratação e desenvolvimento de aplicações de AI e identificação digital.

Empreendedorismo: Com exposição e conteúdo voltado a empreendedores, como investimento em Startups, integração de Startups com empresas, obtenção de Investimento Anjo, além de workshops promovidos pela USP, Insituto Dante Pazzanese de Cardiologia e Unesp.

Segurança: Debates sobre segurança da informação e na transformação;

 

Ao todo, o congresso foi composto por nove auditórios simultâneos, três arenas com conteúdo livre, totalizando 140 horas de conteúdo, 800 palestrantes nacionais e internacionais e mais de 300 palestras.

 

Coletiva de Imprensa

Durante a Futurecom, a Nokia realizou (no dia 29 de outubro) uma coletiva de imprensa para anunciar uma parceria com o SENAI-SP (Serviço de Aprendizagem Industrial) para implementar seu portfólio tecnológico de soluções de conectividade no laboratório da unidade da instituição em São Caetano do Sul-SP, considerada uma referência no ensino de mecatrônica e onde há uma planta modelo da Indústria 4.0. O Laboratório fornecerá treinamentos e instalações de testes para acelerar a adoção desta tecnologia no Brasil, à medida que cresce a necessidade de automação, inteligência artificial e 5G.

A ideia é promover uma imersão prática com o objetivo de capacitar os profissionais nas tecnologias necessárias para atuar na Indústria 4.0. Atualmente Nokia e Senai estão trabalhando na estruturação dos cursos e a expectativa é que eles comecem a ser oferecidos no primeiro semestre de 2020. A parceria se estenderá às 166 unidades do SENAI-SP.

 

Teleco na Futurecom

Além do tradicional estande montado na feira para exposição dos trabalhos realizados, nosso presidente, Eduardo Tude, foi coordenador dos painéis:

 

Durante está edição da Futurecom, a Teleco celebrou seus 17 anos com um coquetel.

 

Sobre o Futurecom

O Futurecom, o maior e mais importante evento de Tecnologia e Telecomunicações da América Latina, completou 21 anos nesta edição. Ao longo de sua história, o evento teve a presença de mais de mil expositores diferentes e acima de cem mil visitantes.

Surgido em 1998, na cidade de Foz do Iguaçu, o Futurecom foi transferido para Florianópolis posteriormente, onde ocorreu entre 2001 e 2007. A partir de sua décima edição, passou a ser realizado em São Paulo. Em 2012 e 2013, o evento foi promovido no Rio de Janeiro, mas retornou a São Paulo em 2014.